Coccidiose: A doença que pode colocar em xeque o sucesso de seu lote

A Coccidiose aviária é uma das doenças mais conhecidas e comuns no mundo. Os danos econômicos aos produtores de frangos são considerados relevantes, sendo o prejuízo anual superior a 3 bilhões de dólares em média, mundialmente. Tudo isso, devido à mortalidade, redução de peso e custos gerados no controle da doença nas aves. 

A doença se desenvolve quando as aves são expostas através da ingestão de um parasita protozoário do gênero Eimeria que pode estar presente no ambiente, no alimento, na água e até na cama. A Eimeria possui sete espécies e em aves, afeta diretamente o intestino, causando uma modificação estrutural das vilosidades intestinais (dobras da camada interna do intestino delgado) e destruição das células epiteliais do intestino (impedindo sua renovação), que resulta na redução da capacidade de absorção de nutrientes e má digestão, tornando-o suscetível a outras doenças como a Enterite necrótica.  

 O reconhecimento da doença se dá através dos sintomas externos que serão citados logo abaixo, não descartando a presença de um Médico Veterinário para fazer os exames do conteúdo encontrado nas fezes e intestino, podendo assim confirmar o diagnóstico. Sendo eles:

  • Diarreia;
  • Muco ou sangue nas fezes;
  • Desidratação;
  • Penas arrepiadas;
  • Anemia;
  • Despigmentação da pele;
  • Prostração e comportamento letárgico.

 

Dicas práticas

Conversamos com o Médico Veterinário e colunista do Avicultura Blog Dr. Hoovert Alejandro Sanchez Palma, e ele trouxe dicas para lhe auxiliar no entendimento dessa doença. 

É importante que o veterinário nos aviários faça necropsias nas aves de uma a duas vezes por semana, com uma observação minuciosa nos intestinos.

Eimeria acervulina, E. brunetti, E. maxima, E. mitis, E. necatrix, E. praecox e E. tenella. Todas provocam infecção no trato intestinal.

Eimeria acervulina: invade as células epiteliais de duodeno e intestino delgado anterior. Causa forte depressão no ganho de peso.

Eimeria acervulina:

Eimeria. brunetti: Essa espécie de Eimeria pode induzir a piora da conversão alimentar, redução do ganho de peso e mortalidade moderada nos casos de infecções graves. Em casos graves pode haver presença de sangue nas fezes.

Eimeria mitis: infecta, predominantemente, a metade anterior do intestino delgado. Apesar de ter sido considerada não patogênica, tem causado mortalidade em pintinhos

Eimeria praecox: infecta a parte superior do intestino. Provoca depressão no ganho de peso e até mesmo, perda de peso.

Eimeria necatrix: junto com a E. tenella é considerada a espécie mais patogênica. Invade as células do jejuno ou área mediana do intestino delgado. Pode causar alta mortalidade.

Eimeria maxima: invade  principalmente, a região mediana de intestino delgado. Provoca alta mortalidade (50%), perda de peso, má conversão alimentar.

Eimeria tenella: invade as células epiteliais e da submucosa. Extremamente patogênico causa alta mortalidade.

No exame das necropsias, o um indício da doença é a presença de sangue nos intestinos, que ao ser tocado é possível sentir uma sensação bastante próxima à textura de areia ou açúcar.

A prevenção é o segredo!

Como citado anteriormente, a gravidade e o prejuízo somados à essa doença, são grandes. Há necessidade de um planejamento de manejo e prevenção para o devido controle. Além do básico recomendado para todas as doenças e a manutenção da sanidade, que é justamente a limpeza e desinfecção do ambiente, é interessante o uso de anticoccidianos na alimentação (ração) ou usar vacinas existentes no mercado.

Por fim, recomenda-se também que aves doentes ou com suspeita, sejam mantidas distantes das saudáveis, para que sejam fornecidos tratamentos adequados ou descartados caso a doença já esteja em um nível avançado.

Gostou desse conteúdo? deixe sua opinião nos comentários! Para não perder nenhum assunto aqui do Avicultura Blog basta nos acompanhar em nossas redes sociais, temos muitas novidades vindo por aí. Vamos juntos fortalecer cada vez mais a atividade avícola, pois a avicultura é nossa paixão!

FONTES DE PESQUISA: Fonte1 | Fonte2 | Fonte3 | Fonte4

Comentários: