Perspectivas do ano de 2021 para a avicultura

A ABPA (Associação Brasileira de Proteína Animal) projeta o ano de 2021 para a avicultura, trouxemos para você os números apresentados pela entidade que representa o setor para o ano que se inicia, referentes à produção, consumo, exportação, além disso apresentamos uma visão do que esperar dos custos de produção.

A ABPA (Associação Brasileira de Proteína Animal) projeta o ano de 2021 para a avicultura, trouxemos para você os números apresentados pela entidade que representa o setor para o ano que se inicia, referentes à produção, consumo, exportação, além disso apresentamos uma visão do que esperar dos custos de produção.

 

Após um ano conturbado, a avicultura terá desafios bastante importantes em 2021, em um ano em que a expectativa inicial será pela estabilização dos custos de produção, que em 2020 atingiram patamares que não eram registrados a anos.

A ABPA, divulgou no último dia 09 de dezembro (quarta), perspectivas para o ano que se inicia, destaca-se a estimativa de produção de carne de frango que poderá alcançar a marca de 14,5 milhões de toneladas, o que representaria um incremento de 5,5% comparado aos números esperados para o ano de 2020. Esses números são também reflexo do aumento no consumo interno que pode chegar a 10,1 milhões de toneladas, caracterizando um aumento de 6,5%, com consumo per capita de 47 quilos, 4,4% maior. As exportações deverão chegar a 4,35 milhões de toneladas, valor que supera os 3,6% esperados para 2020.

“A pressão asiática por carne de frango e carne suína do Brasil deverá se manter em patamares elevados em 2021. Ao mesmo tempo, há expectativa de retomada por importadores relevantes, como é o caso das Filipinas. Também é esperada a renovação da cota de importação pelo México no próximo ano. O efeito “Olimpíadas” também deve favorecer as vendas para o Japão, país que é presença constante entre os três principais destinos de carne de frango. Por fim, tanto no exterior quanto no mercado doméstico, é esperado um significativo impacto positivo decorrente da retomada econômica, com a superação dos efeitos da pandemia”, completa o presidente da ABPA, Ricardo Santin.

Com relação a produção de ovos o atual desempenho estará mantido, com cerca de 56,2 bilhões de unidades, valor 5% acima do que foi previsto no começo do ano passado. O consumo per capita também crescerá segundo a associação, chegando a 265 unidades, número que representa aumento de 6% comparado a 2020.

Vale lembrar que no ano passado, ocorreu a abertura do mercado mexicano para a importação de ovos produzidos no Brasil. Fato bastante importante para o setor, principalmente considerando que o país é o maior consumidor mundial de ovos, que em 2019 importou cerca de 20 mil toneladas da mercadoria, segundo a ABPA.

 
 

Custos de produção

A desvalorização da moeda brasileira observada ao longo de 2020, ajudou a alavancar as exportações, porém também contribuiu para a maior saída de soja e milho do país, principais matérias primas na produção de ração na produção avícola, configurando um ano que foi marcado pelos custos de produção que não eram vistos a anos.

No último dia 18 (sexta), a Embrapa suínos e aves divulgou dados referentes aos custos de produção e destacou o registro de crescimento do custo de produção de frangos e suínos pelo quinto mês consecutivo. Segundo dados divulgados em nota, os resultados para o mês marcam um novo recorde nominal para o índice, o qual foi criado em 2011 pela Embrapa e Conab, com o objetivo de medir a variação mensal dos custos de produção.

 

O ICPFrango acumula agora 41,44% de alta em 2020 (e 41,43% nos últimos 12 meses). A nutrição das aves (3,64%) foi o item que mais subiu no mês passado. Com isso, o custo de produção do quilo do frango de corte vivo no Paraná passou dos R$ 4,25 em outubro para R$ 4,47 em novembro.

Em entrevista ao site O Presente Rural, o presidente da Coopavel, Dilvo Grolli fez uma análise sobre o ano de 2021 para a avicultura.

“Nós teremos uma melhora de preços e uma baixa dos custos de produção do frango, não será de imediato, será a partir de julho de 2021, porque nós teremos uma segunda safra de milho já que tradicionalmente nos últimos anos na primeira safra de verão estamos plantando bem mais soja do que milho e não temos uma grande produção na primeira Safra”.

“Mesmo que nós tenhamos alguma dificuldade no preço do milho no primeiro semestre de 2021, a soja fará a compensação e não acredito no aumento do custo da ração em 2021, então o custo de produção da carne de frango ficará mais ou menos no que se tem hoje” acrescentou Grolli.

 

A oportunidade da avicultura mostrar sua força

Mesmo com tantos desafios para 2021, o agronegócio brasileiro tem tudo para continuar superando recordes de produção e exportação. O país conta com a biosseguridade, a tecnologia e principalmente, conta com pessoas apaixonadas pelo que fazem e que mesmo em momentos tão conturbados, a cadeia avícola não parou e mostrou o por que o Brasil é sempre protagonista quando o assunto é ALIMENTAR O MUNDO!

E para esse novo ano que se inicia você contará, com artigos semanais aqui no Avicultura Blog, sempre com um assunto de interesse de produtores, médicos veterinários, zootecnistas, agrônomos, técnicos, enfim todos aqueles que assim como nós são apaixonados pela avicultura!

 
 
 

Gostou do conteúdo? Qual assunto você gostaria de ver por aqui? deixe seu comentário e sugestões, correções e complementos são sempre bem vindos =)

Vamos juntos contribuir para essa atividade tão importante para o agronegócio brasileiro.

 
 

#Perspectivas2021 #avicultura #AviculturaBlog #agronegocios

Comentários: