Pular para o conteúdo

Avicultura Blog

Todas as categorias:

Melhorando a saúde das aves com o efeito hepatoprotetor de extratos de ervas

Os aspectos fisiológicos e funcionamento adequado do sistema digestivo e dos órgãos diretamente relacionados, são importantes na lucratividade da produção de aves comerciais. Um dos mais importantes órgãos do corpo da ave é o fígado e a complexidade das funções que cumpre prova seu significado único.

Por Albert Nakielski, Especialista em doenças avícolas e pássaros ornamentais, BioPoint, Polônia.

PUBLICIDADE

Este órgão pode ser particularmente vulnerável a fatores prejudiciais, que por sua vez podem contribuir para a redução da produção, ganho de peso e, em casos extremos, até mesmo o aumento da mortalidade na granja.

Estrutura do fígado de ave

O fígado é um dos maiores órgãos internos das aves. Consiste nos lóbulo direito e esquerdo, encontra-se na região caudal da cavidade corporal, sua extremidade distal fisiologicamente não sobressai além da quilha e é visível imediatamente após a remoção do parede abdominal.

No caso de frangos e perus, o lóbulos esquerdo do fígado é dividido em lateral e mediais e o lóbulo direito pode ter numerosos lóbulos secundários.

Os lóbulos esquerdo e direito têm suas próprias veias e artérias hepáticas, a vesícula biliar encontra-se acima dos lóbulos mencionados e armazena bile produzida no fígado. O conteúdo é um fluido esverdeado, que contém partículas de água, sais e pigmentos biliares. A bile é excretada por volta de 1ml / hora e entra no duodeno via ductos císticos.

Algumas aves, como pombos, avestruzes e papagaios, não têm vesícula biliar, enquanto em outros (pinguins), o órgão é extremamente amplo. A cor e o tamanho do fígado dependem da espécie e podem ser afetados pela saúde ou pela alimentação. Imediatamente após a incubação o fígado tem uma cor creme claro, devido às gorduras e glicogênio armazenado nele. Após a reabsorção do saco vitelino finalizada, em cerca de 6-7 dias de vida do pintinho, o fígado fica mais escuro, e depois de outra semana, fica uma cor marrom cereja característica de aves adultas. O fígado é espesso, com brilho, superfície lisa, uma estrutura homogênea e bordas ligeiramente afiadas.

Funções hepáticas

O fígado é um órgão excepcional, que cumpre muitas funções, são quatro as funções básicas: metabólica, desintoxicação, armazenamento e secreção.

As funções metabólicas do fígado são sua estreita conexão com o metabolismo de açúcares, proteínas e lipídios, ou seja, os nutrientes básicos contidos na ração. Outra função metabólica do fígado é com as vias metabólicas dos carboidratos, a troca de galactose e frutose em glicose, e o tamponamento dos níveis de glicose no sangue.

O excesso de carboidratos entregue ao corpo é transformado e armazenado pelo fígado em glicogênio.

O glicogênio pode ser metabolizado em glicose em situação de fome ou falta prolongada de acesso aos alimentos.

A transformação das gorduras que entram no trato gastrointestinal é possível devido à presença da bile previamente descrita. Seu componentes são responsáveis pelo processo de emulsificação que ocorre no lúmen do duodeno e inclui a redução da tensão superficial causando a divisão das gotas de gordura em outras menores.

Graças a esta função, as enzimas secretadas pelo aparelho digestivo para o duodeno aumenta a área de contato com os componentes da gordura decomposta.

Depois de ser transformado os nutrientes, são absorvidos através do epitélio intestinal e usados no sistema para as transformações subsequentes.

Papel dos ácidos biliares

Os ácidos biliares tem um papel muito importante junto com a vesícula biliar e bile, é sua participação na absorção de gorduras solúveis vitaminas (A, D3, E, K) e a transformação de vitaminas B (B1, B2, B3).

A bile é ligeiramente ácida (pH 5,5-6,0 em frangos) permite a ativação inicial de enzimas pancreáticas, dissocia conteúdos alcalinos que entram no duodeno, mas também tem um papel ativo na remoção de metabólitos de antibióticos e íons de metais pesados do corpo.

Em caso de transformação de proteínas que entram no trato digestivo das aves, o fígado não permanece como um órgão passivo. Depois de hidrólise inicial nos intestinos, com a participação de proteases e peptidases, os aminoácidos livres são formados, entrando no fígado através da veia depois da absorção.

Dependendo do estado fisiológico do corpo, os aminoácidos livres podem ser transportados pela circulação periférica para as estruturas de tecidos e órgãos; o substrato sintetizam-se nos hormônios, proteínas e enzimas plasmáticas, fatores de coagulação do sangue; ou são catalisados (em caso de excesso de proteína) para amônia e corpos cetônicos.

As aves são animais uricotélicos, o que significa que metabólitos de nitrogênio, como amônia, são transformados em ácido úrico menos tóxico. o fígado também armazena vitaminas A, D, K e Ferro, que, juntamente com o o plasma anteriormente mencionado,  é utilizado em processos hematopoiéticos.

Perturbações da função hepática nas aves

Mudanças na estrutura, cor, tamanho ou forma do fígado pode ser visível durante o curso de muitas doenças: bacterianas, virais, parasitárias e até mesmo fúngicas e metabólicas.

A ferramenta mais importante no diagnóstico das doenças hepáticas é um exame histopatológico. Depois de ver as mudanças sob o microscópio, geralmente é possível indicar a causa primária da disfunção do fígado, para excluir prováveis fatores prejudiciais.

As mudanças registradas com mais frequência em as imagens microscópicas do fígado são: degeneração, necrose ou alteração no formato dos hepatócitos, infiltração de células inflamatórias nos vasos sanguíneos, na parede hepático, áreas biliares, hiperplasia e proliferação do ducto biliar e a bile.

Alguns patógenos têm afinidade direta com células do fígado, sendo assim a causa de alterações patognomônicas. Além disso, mudanças no órgão visíveis durante os exames histopatológicos são geralmente o resultado do efeito simultâneo de vários fatores prejudiciais.

Portanto, isolar um patógeno como a causa do distúrbio gera muitas dificuldades.

A Tabela 1 acima indica o fatores etiológicos dos quais muitas vezes danificam ou modificam a estrutura do fígado.

Substâncias naturais e suas funções no fígado

As ervas desempenham um papel especial nos processos de regeneração e fortalecimento do fígado. Elas contêm grandes quantidades de flavonóides, ácidos fenólicos, taninos e outras substâncias que tem efeitos hepatoprotetores.

Esses efeitos são especialmente úteis no fígado apresentando proteção contra toxinas e radicais livres, mas também ajudam na regeneração de danos às células e fragmentos de DNA.

Sementes de cardo mariano (Sylibum marianum) contém um conjunto de substâncias chamadas silimarina, o mais abundante deles é a silibinina. Isto é uma substância com propriedades que reduzem fortemente os efeitos dos radicais livres de oxigênio, que danificam significativamente os hepatócitos. Além disso, foi demonstrado que silibinina modula os efeitos inflamatórios das citocinas, limitando a ocorrência de inflamação no fígado.

A alcachofra (Cynara skolymus) é outra planta com propriedades hepatoprotetoras. A Alcachofra contém grandes quantidades de flavonóides e ácidos fenólicos, entre os quais o papel principal é desempenhado pela cynarine. Essas substâncias afetam a ativação de mecanismos de reparo de DNA, que foram danificados por toxinas presentes no fígado. Além disso, eles melhoram o funcionamento de mecanismos redutores de oxigênio nos radicais livres. Propriedades muito semelhantes são encontradas no dente-de-leão (Taraxacum officinale) no extrato de raiz.

Durante estudos ambientais usando toxinas (por exemplo, dicromato de sódio), foi observado que os extratos de dente de leão protegeram o DNA de fígado animal e estimulou o reparo de fragmentos de material genético danificados. A estrutura dos hepatócitos também foi inalterada em animais que receberam extrato de dente de leão.

A estimulação da função hepática e sua a proteção também deve ser feita com o uso de produtos químicos orgânicos e vitaminas, junto com o uso de plantas medicinais. Antigamente incluíam-se betaína e colina. Betaína é entregue às células do fígado, onde regula, entre outros, a produção de um aminoácido importante – metionina. Betaína interage com a colina na distribuição de lipídios alimentares, portanto, além de participar nos processos de digestão, também ajuda a reduzir os depósitos de gordura no próprio fígado.

O papel das vitaminas

As vitaminas, especialmente do grupo B, como B1, B2, B6, desempenham um papel extraordinário no fígado nos processos de proteção. Eles ativamente participam dos processos de metabolização de açúcares, gorduras e proteínas, regulando assim as principais funções do fígado.

Também é recomendado o uso de vitamina E em combinação com selênio como suporte para o sistema antioxidante do corpo. A combinação acima mencionada dos micronutrientes com plantas medicinais tem um efeito sinérgico, incluindo a neutralização dos radicais livres de oxigênio, que são um dos fatores mais perigosos para a danificação das células do fígado.

🟦 Teste de campo

Os pintinhos Ross 308 usados na pesquisa foram mantido em uma granja comercial em duas instalações idênticas. Cerca de 40.000 aves foram colocadas em cada instalação. O programa de vacinação, alimentação e manejo eram idênticos.

Para aves mantidas no Local 1, administrou-se o agente hepatoprotetor (Hepamix plus, da BioPoint) que foi oferecido entre a terceira e quinta semana da vida das aves (quatro dias em cada semana de processo de ganho de peso).

Durante o exame organoléptico do fígado no abate, diferenças claras na aparência e estrutura do órgão avaliado foram encontradas. Nos frangos vindo da granja 1, o fígado anatomicamente não difere das normas geralmente aceitas para a idade e nenhum sintoma de dano estrutural foi observado (Fig. 1).

Os órgãos isolados de frangos da granja 2, foram caracterizados por fragilidade, mudamça de cor, presença de pontos de limite no bordas dos lóbulos do fígado e distúrbios no parênquima hepático (Fig. 2).

Fig. 1. Órgãos das aves da granja 1.

Fig. 2. Órgãos das aves da granja 2.

Comentários:

Marcações: