Influenza Aviária e seu impacto na produção avícola mundial

O USDA (Departamento de Agricultura Norte Americano). divulgou no último dia 12 (terça), os valores revistos sobre a previsão da produção de carne de frango que havia sido divulgada no final do ano passado. Uma mudança importante, foi a redução da expectativa que se tinha sobre a produção dos 5 maiores produtores mundiais, após a revisão, espera-se um crescimento de 0,98% para 2021. Segundo o departamento, essa queda é motivada, entre outros fatores, pelos atuais surtos de Influenza Aviária principalmente no Continente Europeu. Apresentamos para você neste artigo um resumo sobre a doença e como os surtos recentes do vírus estão afetando a produção avícola mundial.

A produção estimada dos cinco maiores produtores de carne de frango do mundo deve ser de menos de 1%, isso é o que aponta o USDA. A principal queda é observada na Europa, principalmente devido aos surtos de Influenza Aviária que vêm sendo detectados no Continente. Pensando nisso, montamos para você um panorama geral sobre a atual situação da doença no mundo, como ela vem afetando a cadeia avícola mundial e de que forma as autoridades pelo mundo estão tomando medidas para conter essa doença altamente prejudicial para a avicultura e que se apresenta como um grande desafio para o setor em âmbito global.

A Influenza Aviária

A circulação do vírus da Influenza aviária (IA) não é um fenômeno novo. Existem muitas descrições de surtos históricos de gripe aviária em aves domésticas na literatura. Essa doença ocorre em todo o mundo e diferentes cepas são mais prevalentes em certas áreas do mundo do que outras. Esta é uma doença viral altamente contagiosa que afeta aves domésticas e selvagens.

Segundo a OIE (Organização Mundial de Saúde Animal), os vírus da gripe são agrupados em três tipos: A, B e C. Apenas o tipo A é conhecido por infectar animais e é zoonótico, o que significa que pode infectar animais e também humanos. Os tipos B e C infectam principalmente humanos e geralmente causam doenças leves.

Os vírus da gripe aviária são extremamente variáveis e disseminados entre as aves. Neles, todos pertencem à família Orthomyxoviridae e formam o gênero influenzavirus A.

Os vírus da influenza A são classificados em subtipos com base em duas proteínas de superfície, a hemaglutinina (HA) e a neuraminidase (NA). Por exemplo, um vírus que possui a proteína HA 7 e a proteína NA 9 é designado como subtipo H7N9.

Pelo menos 16 hemaglutininas (H1 a H16) e 9 subtipos de neuraminidases (N1 a N9) foram encontrados em vírus de aves, enquanto dois tipos adicionais de HA e NA foram identificados, até o momento, apenas em morcegos.

As cepas de vírus IA são geralmente classificadas em duas categorias de acordo com a gravidade da doença em aves. As cepas de baixa patogenicidade, geralmente não apresentam sintomas e assim, muitas vezes não são diagnosticadas. Já as cepas altamente patogênicas apresentam sinais clínicos graves e taxas de mortalidade potencialmente altas entre as aves.

Até o momento, vírus influenza A altamente patogênicos de ocorrência natural que produzem doença clínica aguda em galinhas, perus e outras aves de importância econômica foram associados apenas aos subtipos H5 e H7.

Surtos na Europa e na Ásia

Estima-se que já foram abatidas mais de 20 milhões de frangos na Coreia do Sul e Japão desde novembro, devido aos surtos que ocorrem atualmente no continente Asiatico. Além disso, a Índia, sexta maior produtora do mundo, também registrou a chegada da cepa H5N8 ao país.

Já na Europa um dos países mais afetados é a França, onde já foram realizados o abate de 200 mil animais, e pretende-se abater outros 400 mil, afirmou o Ministério da Agricultura local. Recentemente o país, assim como outros na região reportou a presença da cepa altamente patogênica e intensificou as medidas de contenção após observar o avanço da doença pelo sudeste do país através de bandos de patos.

Em decorrência dos atuais surtos de IA, o país vem enfrentando embargos impostos após o aumento no número de casos registrados. Recentemente Hong Kong decidiu suspender a importação de carne e subprodutos da França e do Japão.

Segundo levantamento realizado pelo site Avicultura.info com base nos dados da interface WAHIS (World Animal Health Information System), da OIE, em 2020, mais de 4 milhões de aves foram infectadas pela Influenza aviária na Oceania, Ásia, Oriente Médio, Europa, África e América do Norte. Foram notificados ao todo mais de 130 focos de IA pelo mundo em 2020.

Oportunidades para o Brasil 

O Brasil é o único dos grandes produtores mundiais de carne de frango que nunca apresentou nenhum caso de IA em sua forma altamente patogênica, este fato sem dúvidas coloca o Brasil em uma posição privilegiada na visão de clientes internacionais, onde estar livre dessa doença é uma das condições para a importação da produção.

Como já tratamos em nosso artigo Para onde vai a carne de frango produzida no Brasil?, existe a expectativa de que o Brasil consiga de certa forma preencher lacunas de oferta, as quais vêm ocorrendo principalmente nos países que convivem atualmente com surtos de PSA (Peste Suína Africana) e a Gripe aviária como também é conhecida a doença.

O presidente da ABPA explicou que este é um período do ano em que as aves migratórias fazem rotas pela Ásia e param nas lavouras de arroz, espalhando a doença no entorno.

“O Brasil tem uma posição privilegiada e algumas rotas dessas aves são só de passagem, elas não param no Brasil. Há um sistema reforçado de monitoramento e prevenção, e ainda assim estamos enviando alertas para que o setor reforce seus cuidados”, explicou.

“A velocidade que um país controla o surto da doença é o que determina o impacto que haverá no mercado”, acrescentou o presidente da ABPA em entrevista divulgada pelo AviSite.

A continuidade dos níveis de produção e exportação de carne de frango do Brasil, mesmo em momentos complicados, se deve em grande parte pelo comprometimento dos diversos personagens da cadeia avícola em prol da garantia do status sanitário nacional.

No entanto, o atual reconhecimento internacional de país livre da Influenza Aviária só é possível de ser mantido por meio da adoção de medidas de biosseguridade, além de controles efetivos no dia a dia das granjas avícolas. E profissionais assim como você, tem um papel fundamental na garantia da posição privilegiada entre os grandes produtores de alimentos no mundo.

E para você o projeto Avicultura Blog, onde você encontra conteúdos sobre a Avicultura brasileira. Convidamos você a seguir nossa página nas redes sociais, interagir em nossas publicações, correções e complementos são sempre bem vindos, nos envie diretamente ou deixe nos comentários suas ideias e sugestões de temas que você quer ver aqui.

Vamos juntos desenvolver a cadeia avícola através do conhecimento. Pois a Avicultura é nossa paixão!

Comentários: