Pular para o conteúdo

Avicultura Blog

Todas as categorias:

Cobb-Vantress discute manejo de ração e água para melhor desempenho de frangos

Disponibilizar água e ração a vontade durante todo o tempo, desde o primeiro dia de produção até o período de jejum pré-abate tem impactos positivos no desempenho das aves.

Um bom manejo de frangos de corte contribui com melhor eficiência produtiva e pode ser uma estratégia importante diante do cenário de custos elevados, defende o médico veterinário e Especialista em Frango de Corte e Ambiência da Cobb-Vantress na América do Sul, José Luís Januário. “Parece muito simples, mas o manejo dos nossos produtores no dia a dia, como oferecer água, ração, bem-estar e ambiência para as aves, nunca foi tão necessário. É um tema que está sempre na pauta de discussão. Fazer o básico bem feito sempre foi e sempre será o essencial na produtividade das aves”, afirmou o especialista.

De acordo com ele, o bom desempenho de ganho de peso de frangos de cortes deve ocorrer desde o primeiro dia e tem impacto positivo ao longo de toda a vida produtiva do animal. Por isso, este é o objetivo dos profissionais do campo, que focam estratégias de manejo para atingir o melhor resultado. Assim, é fundamental disponibilizar ração e água a vontade desde o primeiro dia.

José Luís Januário, Especialista em Frango de Corte e Ambiência da Cobb-Vantress na América do Sul.

“A ração tem que estar sempre disponível e com a granulometria correta de acordo com as fases. Um grupo de aves vai fazer a ingesta em horários definidos e diferentes, então um pintinho de primeira semana, por exemplo, bebe água e vai ao comedouro três vezes por hora. Neste momento, em que está com fome, aquele grupo tem de ter ração disponível. Depois, cerca de 20 minutos, vamos pensar assim, outro grupo vai estar com fome, e aqueles primeiros já comeram. Então a ração tem que estar disponível o tempo todo”, disse o especialista.

De acordo com ele, esta disponibilidade é ainda mais importante na fase inicial. “O arranque de peso dos pintinhos desde o primeiro dia é muito importante. Nesta fase é construído um “depósito” de tecido muscular, que depois vai sofrer uma hiperplasia, um aumento de volume, e crescem todos os órgãos importantes de cada sistema, que em todo momento serão exigidos no metabolismo das aves”, salientou Januário.

O especialista explica que é importante disponibilizar, além da quantidade de comedouros, ração no papel, estímulos ao consumo. “E isto se faz bem feito aqui na América do Sul, onde já se sabe que é importante. Indicamos colocar ração no papel até o terceiro dia, sempre limpando para que esta disponibilidade seja ainda maior nesta fase. Na segunda semana, o trabalho de aquecimento e ventilação e estímulo ainda é importante e essencial, por isso o pintinho precisa de total acesso e é importante verificar a distância das aves ao equipamento, se estamos abrindo os espaços no galpão e isto deve ser feito com critério e não negligenciarmos o manejo correto de bebedouros, pratos, e ao conforto térmico”.

Nesta linha, Januário destaca a importância do fornecimento de água de qualidade, em seus aspectos quantitativos e qualitativos, volume, limpeza, cloração, e sempre à vontade. “Em uma situação normal, um frango consome, no mínimo, o dobro de água em relação ao consumo de ração. Então, se a ração tem que estar disponível 100% do tempo, a água deve estar ainda mais, já em situação de estresse calórico, principalmente no verão, uma ave pode consumir até 3 a 4 vezes mais água em relação a quantidade de ração consumida. Daí a grande importância da disponibilidade para que a ave expresse seu potencial genético”, pontuou ele mencionando que alterações na formulação da dieta também são importantes.

Januário afirma que há mudança na frequência de procura por água e ração de um frango mais adulto no comedouro. “Se na primeira semana ele irá ao comedouro três vezes por hora, na segunda e na terceira semana, ele irá uma vez por hora até que, na última semana, um frango de corte comerá a cada duas ou duas horas e meia. Ele enche o papo, esvazia em aproximadamente duas horas e depois ele sentirá fome novamente, então procurará o comedouro. Daí a importância de termos sempre ração à vontade em todas as fases”.

Bem-estar animal
Segundo ele, o bem-estar animal é essencial para que as aves tenham um bom aproveitamento da dieta. “O bem-estar das aves tem que estar perfeito, todos os equipamentos têm de estar disponíveis. Para saber se o pintinho está comendo bem fazemos o teste do papinho, quando pegamos uma amostragem dos pintinhos para apalpar o papinho e avaliar como está a ingestão de água e ração. Esperamos que, no mínimo, acima 90% dos pintinhos da amostra, estejam com água e ração no papo”, explica.

Na medida em que as aves crescem, é importante observar o comportamento do frango, se ele está comendo, bebendo água e descansando. “Ouvir se o comedouro está esvaziando e rodando sempre também é um indicador. Em casos de comedouros automáticos, que são maioria no Brasil, podemos analisar a frequência em que ele é ligado para ter certeza de que o consumo está ocorrendo de maneira adequada”, pontuou.

Além disso, ele salienta que é possível controlar o volume de ração de acordo com as fases. “Assim dá para saber quando a ração inicial deve acabar, quando a ração de crescimento deve acabar, controlando o estoque de ração e verificando o volume, se está sendo consumido e aproveitado pelo frango”, disse Januário lembrando do jejum na fase final, no pré-abate. “É importante que as aves entrem em jejum entre quatro e seis horas antes de ir para o abatedouro. Levantando o comedouro, e disponibilizando água”.

Fonte: Assessoria de Imprensa

Comentários: