Automação e biossegurança são pilares para o crescimento do mercado de ovos no Brasil

O especialista em Gestão Agroindustrial e gerente Geral da Hy-Line do Brasil, Marcelo Delgado Barbosa
 

Investimentos em genética, nutrição e tecnologia são alguns dos temas destacados em podcast da FACTA

  O mercado avícola é um dos que mais muda tecnologicamente devido à grande oferta de pesquisas voltadas para a área. Para explorar esse assunto, a FACTA (Fundação APINCO de Ciência e Tecnologia Avícolas), lançou dentro da sua série de podcasts (disponíveis nas plataformas Youtube, Deezer e Spotify), um episódio com o médico-veterinário, especialista em Gestão Agroindustrial e gerente Geral da Hy-Line do Brasil, Marcelo Delgado Barbosa, que aborda os principais temas da cadeia produtiva avícola.

No campo da automação, o especialista aborda a evolução dos equipamentos que atuam do início ao fim da cadeia produtiva das aves de postura, e que conferem ao produtor maior controle e qualidade aos seus animais. “A sensibilidade das balanças de consumo de ração, os climatizadores e os controladores, por exemplo, trazem uma dezena de informações ao produtor que o permitem fazer comparativos de rendimento e até mesmo elaborar um programa vacinal”, comenta o Delgado.

O especialista ressalta que, embora a automação na avicultura já esteja presente há um longo tempo na cadeia, a mudança no perfil do consumidor final exige cada vez mais investimentos nesta área, uma vez que “as embalagens transparentes possibilitam uma melhor leitura da qualidade, higiene e uniformidade dos ovos, o que reafirma a necessidade de investimento em equipamentos que gerem relatórios precisos”, detalha.

Na área de genética a abordagem se apoia nos cinco pilares: melhoramento da persistência de produção, melhor relação do consumo de ração x produção de ovos, qualidade de casca, mix de ovos e desafios sanitários. “Para se ter aves de ciclos produtivos mais longos as casas genéticas estão focando no aumento do percentual da resistência, com ciclo de vida produtivo mais longo, justificando assim todo o investimento feito pelo produtor”, afirma o gestor.

Já ao abordar o tema sanidade, o especialista aponta que a melhor saída é a biosseguridade, a exemplo do que se pratica na suinocultura, onde há a distância entre galpões, a proibição de visitas e os vazios sanitários. “A biosseguridade, aliada a um bom programa vacinal, tem grande viabilidade econômica e mostra-se efetiva no controle da saúde das granjas”, completa.

Marcelo Delgado Barbosa também comenta no podcast os tipos de ovos presentes no mercado, apontando para a necessidade da variedade de oferta, que se adequa à necessidade de cada mercado consumidor. “Hoje o Brasil oferta ovos tradicionais, ovos especiais (orgânicos e caipiras, por exemplo) e o ovo líquido. Isso demostra o aumento das exigências e a procura por este alimento, que atinge todas as camadas econômicas do País”.

Para finalizar, Delgado salienta que o mercado de postura segue em franco crescimento, com tendência de abranger cada vez mais espaço e estabilidade, o que demostra que os investimentos nessa cadeia produtiva são assertivos.

Para ouvir esse e outros podcasts da FACTA, acesse: https://open.spotify.com/episode/5yKPrmprdyQUUg0pfnBXLv

Gostou deste conteúdo? Nos siga agora em nossas redes sociais para ficar por dentro das informações da Avicultura no Brasil e no planeta!

Comentários: